Eu sou jornalista porque…

19 maio, 2008

Eu sou jornalista porque antes de tudo sou curiosa. Vontade de conhecer, de aprender, nunca me faltaram. Lendo a bula do remédio, mudando toda hora de canal e absorvendo cada segundo de informação, passadinha pelas revistas de moda, conversas despretensiosas que no fim já me valiam alguma coisa nova, uma bobagem que fosse.

Sou jornalista por causa de cada livro que li. Sou jornalista porque sempre depois que eu lia o Menino Maluquinho, (um dos meus livros preferidos na infância), descobri que o senhor grisalho, simpático a bessa que aparecia na contracapa do livro, era bem mais que um desenhista, era um jornalista e tinha fundado um dos jornais mais importantes que o pais já teve, que bateu de frente com os fardados da ditadura, o Pasquim.

Sou jornalista porque tudo que lia de interessante quando criança e pré-adolescente tinha sido bolado por escritores e/ou jornalistas. Lembro dos livrinhos que tinha em casa intitulados “Para gostar de ler”, eram crônicas escritas por Drummond, Luis Fernando Veríssimo. Eram tão geniais e cumpriram bem o seu papel, porque me fizeram gostar de ler e de quebra, de escrever.

Eu sou jornalista pelo prazer de deter a informação! Tinha coisa melhor do que na roda da conversa dos amigos na escola, contar aquilo que ninguém ainda sabia? Crianças de joelhos ralados e dentes banguelos, olham pra você como uma espécie de semi- Deus, boquiabertos. Bom também é não ficar embaraçado diante de uma pergunta qualquer, é ter assunto pra conversar com quem quer que seja. Futebol, política, música, se precisar a gente sabe de tudo um pouco! Ou pensa que sabe.

Sou jornalista por causa dos filmes que vi. Encantada eu via a personagem de Winona Ryder, em Adoráveis Mulheres. Obstinada a escrever, ela ousa romper com o padrão de sua época em que mulheres só serviam para bordar as roupas do marido. Sou jornalista por causa da Sociedade dos Poetas Mortos, e pelos filmes menos cults também. Porque como todo mundo sonhei ter um dia de bagunça como em Curtindo a Vida Adoidado. Sou jornalista pelas risadas do Zacarias, dos Trapalhões que me trouxeram humor e leveza ao mesmo tempo.

Sou jornalista pelas músicas que ouvi e continuo ouvindo. Música é como ar, na dá pra viver sem. Sei que cada acorde, cada arranjo fez e faz diferença sobre quem sou.

Sou jornalista por causa das pessoas. Porque por mais entediante que possa parecer o sujeito no ponto de ônibus, certamente ele tem uma história pra contar. Todo mundo tem. Sou jornalista porque sei a força que tem a comunicação para transformar.Como uma informação dita na hora e lugar exatos podem mudar uma vida, uma história, a situação de um bairro, de uma classe, pode mudar o rumo de nações. Não há nada mais encantador e assustador que isso. Há esse poder em minhas mãos, em minha boca, em minha mente.

Valorizo cada minuto que passei dentro da universidade, mas sei que era jornalista muito antes disso e sei também que faculdade alguma pode formar um profissional. Pretensão das instituições de ensino…

Jornalista ganha pouco, trabalha feriado e mesmo assim se mata pra fazer uma matéria bem feita. Sou jornalista por que isso tá no meu DNA e não tem como voltar atrás. Paixão, meus colegas, paixão.

C.

PS: realmente, tem pessoas que nascem pra fazer aquilo que fazem, e o fazem bem. É o caso de Cibele. Excelente jornalista, ótima amiga.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: