Será que estou vivo ou morto?

7 agosto, 2008

O corpo de um aposentado inglês ficou dois anos deitado sobre sua cama até ser descoberto pela polícia em sua residência, na cidade de Huncoat, no noroeste da Inglaterra, depois que os vizinhos reportaram sua ausência. Brian Dean, de 70 anos, foi encontrado depois que os policiais arrombaram a porta de sua casa e se depararam com o corpo sobre a cama. Pelas correspondências encontradas na porta da casa de Dean, os policiais concluíram que o aposentado estaria morto há dois anos.

Essa matéria do portal Ig, na sessão da BBC – Último Segundo, me chamou a atenção e me fez refletir um pouco. Caso você queira ler mais sobre a notícia, clique aqui.

Fiquei pensando na letargia de algumas pessoas dentro dos templos. Achou estranha e diferente essa palavra? Então vamos lá:

Letargia [Do gr. lethargía.]
S. f. 1. Neur. Estado patológico observado em diversas afecções do sistema nervoso central, como encefalites, tumores, etc., caracterizado por um sono profundo e duradouro do qual só com dificuldade, e temporariamente, pode o paciente despertar.
2. Estado de insensibilidade característico do transe mediúnico.
3. Fig. Sono profundo.
4. Fig. Desinteresse, indiferença, apatia.
5. Fig. Estado de abatimento moral ou físico; depressão.
6. Falta de ação; inércia, torpor.
7. Vida latente.

Sim, vemos pessoas em sono profundo dentro da igreja, sem sensibilidade para nada. Sem ação e sem noção. Cremos que por sermos salvos, isso por si só já basta. Não é bem assim. Há uma necessidade clara de continuar a caminhada. Talvez seja por isso que os cristãos do primeiro século ficaram conhecidos como ” Os do Caminho”, antes de receberem a alcunha de Cristãos. Fazendo uma paródia com o título do filme Os últimos passo de um homem (Dead Man Walking, 1995, saiba mais aqui), os primeiros passos de um homem recém convertido é buscar mais conhecimento de Deus, assim ele passa da morte para a vida, ao contrário do filme.

Mais. Além da busca do conhecimento, ele tem que por em prática o que aprendeu. Pois conhecimento parado, sem ação, é como água estagnada; apodrece e de nada serve, além de ser criadouro de mosquitos.

O cristianismo é prático, é dia-a-dia, cotidiano. O cristão marca presença (não pela chatice) na vida das pessoas, a ponto delas desejarem sua presença, sentirem sua falta. Foi assim com Jesus, deve ser assim conosco. Nesta história do aposentado inglês, durante dois anos, seus vizinhos não sentiram sua falta. Isso é triste! Você já teve a impressão de fazer parte de uma igreja, onde as pessoas perguntam – Qual é sua igreja? Onde fica? – e quando você responde, as pessoas assustadas respondem que nunca ouviram falar dela? Ou que o prédio da sua igreja é tão invisível, que os vizinho laterais, não sabem que é uma igreja? Parece engraçado, mas isso é real.

Há igrejas tão apáticas que os vizinhos desconhecem sua existência. Será que se você mudar de bairro ou cidade, as pessoas vão sentir sua falta? Será que você está sendo relevante na sua comunidade? Será que você está vivo ou morto? Lembrei-me também da música do Amaury Fontenelle, Parece que eu pareço incomodar, que diz assim:

“Tem gente que não gosta do que eu falo, parece que eu pareço incomodar/Parece que o que eu falo faz um calo na tua consciência/ Parece que eu pareço incomodar/ Tem gente que continua dormindo, tem gente que não quer acordar/ Parece fingir que não está me ouvindo/ Parece que eu pareço incomodar/ Tem gente que não tá afim de mudança, tá afim de conversa e blá blá blá/ Tem gente que parece estar dançando outa dança/ Parece que eu pareço incomodar/ Será que estão ouvindo meu sussurro, será que eu preciso gritar?/ Pra ninguém ficar em cima do muro/ Parece que eu pareço incomodar/ Isso é sinal que eu ainda estou vivo/ Espírito Santo falando dentro de você/ Parece que eu pareço incomodar/ E aí, vai fazer o quê?”

Ser cristão de verdade é ter vida. Ter vida é crescer, física e espiritualmente. Crescer significa deixar de lado as brincadeiras de criança, e partir para assuntos mais contudentes, sérios e verdadeiramente relevantes.

É deixar de lado o Nescau e partir para um banquete, sem ficar com dor de estômago ou diarréia. Ou dor na consciência. Ou melhor, se ficar com dor na consciência, significa um sinal de amadurecimento. O Espírito Santo está começando a se manifestar em você.

E ai? Você está vivo ou morto?

Anúncios

3 Respostas to “Será que estou vivo ou morto?”

  1. mczbahiano Says:

    lembrei de uma igreja por onde passei.
    ela estava inserida a 40 anos naquele bairro
    e muitos de seus vizinhos nem sabia de sua
    existencia. a igreja não tinha jovens e o número
    de membros só diminuia ao compasso dos óbitos.
    a pastora da igreja me falou uma frase que me
    deixou reflexivo: “essa igreja é aconchegante, ela
    é tudo o que não deveria ser. tenho vontade de
    colocar pregos nas cadeiras para que os membros
    não sejam tão acomodados”.

  2. Isis Alves Says:

    eii, serio, gostei muito desse texto!!
    continue escrevendo que, com ctz, tem gente lendo e sendo abençoada. eu fui uma delas! :]
    estou vivendo e buscando exatamente isso: relevancia na minha vida cristã, crescimento e maturidade…
    que Deus o abençoe grandemente!
    abss! 😀

  3. luna Says:

    Obrigado Isis, acho que todos nós estamos nessa jornada, e isso é muito importante…

    volte sempre

    Deus te abençoe, =]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: