É chegada a hora.

12 dezembro, 2008

Quando criança, tinha medo de algumas reportagens do fantástico, principalmente quando aparecia o Hélio Costa. Porque ele sempre trazia matérias falando de doenças e catástrofes que poderiam ser o fim do mundo. Lembrando que o mundo vivia de forma tensa, devido à guerra fria.

E lembro que quando falavam sobre buraco negro, pra mim era o terror.

Para quem não sabe ou desconhece, buraco negro segundo a física, é um objeto com campo gravitacional tão intenso que a velocidade de escape excede a velocidade da luz. Nem mesmo a luz (aproximadamente 300.000 km/s) pode escapar do seu interior, por isso o termo negro (se não há luz sendo emitida ou refletida o objeto é invisível). A expressão buraco negro, para designar tal fenômeno, foi cunhada pela primeira vez em 1968 pelo físico americano John Archibald Wheeler, em artigo histórico chamado The Known and the Unknown, publicado no American Scholar e no American Scientist. O termo buraco não tem o sentido usual, mas traduz a propriedade de que os eventos em seu interior não são vistos por observadores externos”.

Ou seja, tudo é atraído para dentro dele. Nada escapa.

Há um texto em João 2, onde Jesus e sua família e discípulos estão num casamento, e em determinado momento, o vinho acaba. Isso poderia ser um fracasso para os noivos. E Maria se vira para Jesus e diz a condição da festa para ele. E é a resposta de Jesus que sempre ficou me cutucando, o porquê dele ter dito desta forma: “Que temos nós em comum, mulher? A minha hora ainda não chegou”.

Parece que Jesus tinha sido extremamente rude com sua mãe. Ou talvez Jesus não quisesse compartilhar do mesmo sentimento de sua mãe, que como qualquer uma, queria ver seu filho exaltado pelos homens, pelos feitos e prodígios executados. E só recentemente pude perceber o sentido desta resposta. Em várias passagens, nos quatro evangelhos, podemos ver um Jesus preocupado em não demonstrar quem ele era realmente, mas apenas para alguns poucos se revelou.

Porque sua hora ainda não tinha chegado.

Mais um pouco na frente, em João 12, Jesus diz: “Chegou a hora de ser julgado este mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo.Mas eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim”.

Toda a Bíblia aponta para um momento histórico, e todo o universo aguardava aquele instante. Segundo Stephen Neill, “Na teologia histórica cristã a morte de Cristo é o ponto central da história; para aí todas as estradas do passado convergem; e daí saem todas as estradas do futuro”.

Na Cruz, Jesus grita: Está consumado! Ou seja, aquilo para o qual ele veio a terra para executar, ele tinha acabado ali na Cruz. Mas ainda não era a hora de Jesus.

A morte na Cruz seria apenas o começo, o ápice realmente seria logo depois. Para ser mais exato, três dias depois.

Em João 20, Maria Madalena vai ao sepulcro e o encontra vazio. Esse é o grande ápice da história humana. O grande momento para o qual toda a Bíblia relata desde o Velho Testamento e segue testemunhando no Novo. A Ressurreição.

Como um grande buraco negro, Jesus atraiu todas as coisas para si na cruz, nada pode escapar, ao ponto de mudar o rumo e a classificação da história. Compreendemos nossa vida como Antes e Depois de Cristo. Todas as coisas apontam para Jesus. Todos os fatos apontam para Jesus. Todos os homens têm a esperança, de uma vida melhor, de um mundo melhor, transformado, e isso só é possível se formos atraídos para e por Jesus.

E melhor do que isso, após atrair tudo para si, Jesus declara que todo poder lhe fora dado, e mais, que esse poder seria distribuído para os discípulos, e chegar até nós, hoje em dia.

Talvez você possa achar que até hoje, sua vida foi sofrimento e perdas. Mas ainda não é chegada a sua hora. Aguarde! Deus está fazendo com que você morra, seu ego morra e que você carregue sua cruz, e assim, se transforme num novo homem, e receba de Deus autoridade, para mudar a sua história e de quem estiver próximo de você.

Por isso, no texto do casamento em Caná, Jesus age daquela forma, pois queria dizer que ainda não era o tempo de ser levantado, não era o tempo de atrair todos para si e ainda não era o tempo de transformar a história. Pois seria como se pudéssemos ouvir Jesus sussurrando em cada milagre que executa: “Vocês se alegram com isso? Mas ainda não é chegada minha hora. Quando chegar minha hora, vocês verão o verdadeiro milagre e poder de Deus”.

Há uma grande diferença entre Jesus e um buraco negro, apesar de ambos atraírem tudo para dentro de si, só um deles pode nos dar vida, só um deles pode nos transformar em pessoas melhores, só um deles pode nos fazer pessoas cheias de poder, para mostrar a outros que há sim, luz no fim do túnel.

E esse é Jesus.

Anúncios

2 Respostas to “É chegada a hora.”

  1. M.Segundo Says:

    Cara gostei muito do seu texto… Temos que de fato não somente olhar para Cristo mas caminhar diariamente em direção a Ele e deixar que ele nos engular por completo, com todos os nossos defeitos e imperfeições para que venhamos a ter nova vida…

    Abs…

    Fiz um Link do seu Blog no meu Blog: cavernadezion.wordpress.com

    Espero que não tenha nenhum problema…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: